Natação

A natação angolana é a primeira modalidade paralímpica a conquistar medalhas em competições internacionais e o palco foi a cidade de Joanesburgo (África do Sul), durante os Jogos Panafricanos, decorridos no mês de Setembro de 1999, por Irene Bandeira e Ngola Aguiar.

A Cinco anos depois da instituição do desporto adaptado no país (1994), Irene Bandeira conquistou duplamente a medalha de ouro, primeiro nos 100 metros e depois nos 500 metros.

A Em seguida, foi a vez de Ngola Aguiar superar a concorrência na disputa dos 100 metros. O angolano voltou ao pódio para receber a medalha de prata nos 500 metros.

O ano de 2002 marcou até agora a etapa mais vitoriosa desta modalidade paralímpica com a participação inédita num Campeonato do Mundo. Nesta competição global, decorrida na cidade Mar del Plata (Argentina), Irene Bandeira ficou a um passo do pódio ao conquistar o 4º lugar nos 400 metros.

Em 2011, Irene Bandeira voltou a vestir as cores do país para arrebatar a medalha de bronze na prova de 100 metros costas, nos Jogos Panafricanos de Maputo (Moçambique).

A natação falhou por pouco a participação inédita nos Jogos Paralímpicos de Londres`2012. Em torneio qualificativo, disputado em Durban (África do Sul), Sílvio Lopes cronometrou, nos 50 metros, o tempo de 30 segundos contra os 27 segundos solicitados pelo IPC.

No sector feminino, Irene Bandeira ficou impossibilitada de participar na prova qualificativa de Durban, tendo sido substituída por Jandira Morais, mas esta última abandonou na véspera o local devido a defesa da sua licenciatura.

A modalidade tem Luanda como maior polo de desenvolvimento e a piscina do Alvalade como principal palco para treinos, competições provinciais e nacionais.