Atlestismo

O atletismo é a modalidade de iniciação do Comité Paralímpico Angolano (CPA). Seu histórico quase se confunde com o da instituição. Caminham como se de “mãos” dadas.

Tal como a data de fundação do CPA, a primeira competição da modalidade a título experimental data de 1994, prova disputada com atletas de canadianas, no largo do Instituto Médio Industrial de Luanda (Makarenco).

Em Dezembro daquele mesmo ano realiza-se a primeira competição oficial, no campo dos Coqueiros, em Luanda.

Dois anos depois surge a estreia internacional com a participação nos Jogos Paralímpicos em Atlanta`1996. Representaram o país os atletas André Augusto, António Diogo, Pedro Bernardo, Aloísio Bento e Ambrósio Chitembo (todos deficientes dos membros superiores - classe T46).

A segunda participação internacional surgiu em 2001 no Campeonato do Mundo de Corta-Mato, em Portugal.

Seguiu-se outro Campeonato do Mundo, também em Portugal, em 2006. Neste evento Angola conquistou o primeiro troféu internacional por equipa.

José Sayovo, actual referência da modalidade no país, conquistou a sua primeira medalha além fronteira, a prata, curiosamente, nos 5 mil metros, ao que se torneou depois especialista em velocidade (100, 200 e 400 metros para deficientes visuais – classe T11).

Naquele evento luso participaram ainda André Augusto (prata nos 5 mil metros), Henda Gerónimo (ouro nos 3 mil metros – classe T46), Estefânia Matias (T11) e Ambrósio Chitembo (T46), estes dois últimos não lograram conquistar qualquer medalha.

O Campeonato Africano no Egipto em 2008 foi a próxima etapa da selecção, sempre liderada pelo seleccionador e coordenador nacional da modalidade, José Manuel.

Naquele evento no país dos “faraós”, qualificativo ao Campeonato do Mundo no mesmo ano em França, Angola confirmou a ascensão no mundo do atletismo continental, com uma selecção composta por José Sayovo (três medalhas de ouro na classe T11), António Diogo (uma de ouro na classe T46), Domingos Sebastião “Pike” (uma de prata nos 100 metros e outra de bronze nos lançamentos para classe T46) e André Augusto (três medalhas de prata – classe T46).

Seguiu-se o Campeonato do Mundo no Canadá,qualificativo aos Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004. Na cidade de Québec, José Sayovo conquistou o ouro nas três especialidades de velocidade, ou seja, nos 100, 200 e 400 metros. Nesta última estabeleceu o record mundial.

Integraram ainda ao combinado nacional José Segunda, Martins Etole e Estefânia Matias (todos da classe T11).

Nos Jogos Paralímpicos de Atenas, José Sayovo voltou a arrebatar três medalhas de ouro. Desta vez estabeleceu o recorde mundial e paralímpico não apenas nos 400 metros como em Québec, mas também nos 100 e 200m.

Em termos de participações em Jogos Paralímpicos, Angola estreou-se em 1996 em Atlanta, seguiram-se as participações em Sidney`2000, Atenas`2004, Pequim`2008 e Londres`2012.

A nível nacional o atletismo está representado nas 18 províncias do país.