Publicado em

CPA QUER EQUILÍBRIO DE GÉNERO

Sharing is caring!

Coordenador de atletismo (Direita), José Manuel

O desequilíbrio no género registrado na 17ª edição da Taça Lwini em atletismo, disputada domingo (03) preocupa a coordenação da modalidade do Comité Paralímpico Angolano (CPA).

O coordenador técnico, José Manuel, lamentou o facto da representação feminina na prova pedestre de 10 quilómetros ter sido menos da metade dos 130 concorrentes, tendo associado o facto às dificuldades financeiras e o período de provas finais escolares.

Afirmou que a falta de incentivo por parte dos familiares, bem como de maior apoios dos governos provinciais também influenciram para o desequilíbrio do género ao nível do atletismo, em particular, e do desporto adaptado em geral.

O também seleccionador nacional espera um aumento da participação feminina na disputa da Taça de Angola de 15 a 16 deste mês, e também na corrida de fim-de-ano “São Silvestre” dia 31 de Dezembro, no encerramento da época desportiva.

A 17ª edição da Taça Lwini, para além do atletismo, foi ainda disputada nas modalidades de basquetebol em cadeira de rodas e futebol para amputados.

A competição, organizada pela Fundação Lwini, com o apoio técnico do Comité Paralímpico Angolano (CPA), é realizada anualmente em saudação ao 3 de Dezembro, dia internacional do deficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *